loading

“E” de elétrico: A Opel está consistentemente focada na eletrificação

  • A partir de 2022: Combo Life, Vivaro Combi e Zafira Life exclusivamente com motor elétrico
  • A partir de 2024: versão eletrificada de cada modelo Opel
  • A partir de 2028: veículos de passageiros exclusivamente elétricos alimentados a bateria na Europa

 

Rüsselsheim.  A Opel continua a implementar, de forma consistente, a sua ofensiva de eletrificação no Ano Novo. Onze modelos Opel ver-se-ão eletrificados até meados de 2022 - incluindo toda a gama de veículos comerciais ligeiros (VCL) da Opel. A caminho de uma frota livre de emissões, alguns modelos serão propostos, já este ano e exclusivamente, como versões elétricas alimentadas a bateria. Os clientes podem agora encomendar o Opel Combo Life, o Vivaro Combi e o Zafira Life exclusivamente com um motor elétrico..

“E” de elétrico: A Opel está consistentemente focada na eletrificação"Não há alternativa à eletrificação. No futuro, a Opel ganhará ainda mais tração com inovações amigas do ambiente. E o que nos mostra, de novo e de uma forma clara, esta rápida mudança, é que a partir de 2024 iremos oferecer uma versão eletrificada de cada modelo Opel, sem exceções. Por outras palavras, os sucessores do Crossland e do Insignia serão, também eles, eletrificados. A nossa posição é clara: A partir de 2028, venderemos exclusivamente veículos elétricos alimentados a bateria na Europa", sublinhou Uwe Hochgeschurtz, CEO da Opel.

Nos próximos meses, a nova geração do Opel Astra será o elemento-chave da ofensiva de eletrificação da marca com sede em Rüsselsheim. Depois de celebrar a sua estreia em setembro de 2021, o novo Astra de cinco portas chegará aos clientes na primavera e estará disponível, desde logo, em versão híbrida ‘plug-in’. Em 2023, o Astra-e, puramente elétrico, a bateria, completará a gama.

O Opel Combo-e Life e o Opel Zafira-e Life são já muito bem-sucedidos no mercado. Ambos os MPV são propulsionados por um motor elétrico de 100 kW/136 cv. Com a sua bateria de iões de lítio de 50 kWh de capacidade, o Combo-e-Life conta com uma autonomia máxima de 280 quilómetros (de acordo com o ciclo WLTP, dependendo do perfil de condução, da temperatura exterior e do tipo de utilização). Quando necessário, precisa apenas de cerca de 30 minutos para a bateria atingir 80 por cento da sua carga através de uma estação pública de carregamento rápido DC.

“E” de elétrico: A Opel está consistentemente focada na eletrificaçãoCom o grande Opel Zafira-e Life, o cliente pode optar entre uma bateria de iões de lítio de 50 kWh (autonomia de 230 quilómetros segundo o ciclo WLTP) ou uma bateria de 75 kWh para uma autonomia de primeira classe máxima de 330 quilómetros (segundo o ciclo WLTP). O Zafira-e Life está disponível em três comprimentos de carroçaria, tendo iuma lotação máxima de nove pessoas.

Para além dos modelos híbridos ‘plug-in’ e elétricos a bateria, a Opel já pode, igualmente, propor um veículo elétrico com pilha de combustível e tecnologia ‘plug-in’. O Vivaro-e HYDROGEN baseia-se na existente versão elétrica do Opel Vivaro-e, galardoado com o troféu "International Van of the Year" de 2021. O recém-lançado furgão conta com uma pilha de combustível combinada com uma bateria e tecnologia ‘plug-in’, podendo, com os seus depósitos abastecidos com hidrogénio, alcançar uma autonomia de condução superior a 400 quilómetros (WLTP1). O primeiro Opel Vivaro-e HYDROGEN a sair da linha de produção começará o seu trabalho livre emissões na frota do fabricante alemão de eletrodomésticos ‘premium’, Miele.

No entanto, a Opel não está apenas a caminho de um futuro neutro em termos de CO2 com os seus modelos e sistemas alternativos de propulsão, algo que a marca está atualmente a provar em vários locais. Este ano, a Opel e a Stellantis estão a avançar com os planos de construir uma ‘gigafábrica’ de células de bateria em Kaiserslautern. Já em Rüsselsheim está também a ganhar forma o projeto para transformar a sede da Opel num 'campus' ecológico, naquela que será a futura sede alemã da Stellantis.

 


1 Valor de autonomia determinado de acordo com a norma de testes WLTP (R (EC) No. 715/2007, R (EU) No. 2017/1151. A autonomia real pode variar consoante as condições do dia a dia e depende de vários fatores como o estilo de condução, características do percurso, temperatura exterior, utilização do aquecimento, ar condicionado e pré-climatização térmica.

Ir para o topo