loading

 

  • Corsa GT da primeira geração foi adquirido no Porto pelo Opel Classic;
  • Exemplar raro, de 1987, fez por estrada a viagem de 2700 quilómetros entre o Porto e a sede da Opel em Rüsselsheim, próximo de Frankfurt, Alemanha;
  • Sexta geração Corsa tem gama completa de motores a gasolina e Diesel, incluindo uma versão elétrica Corsa-e e o primeiro carro de ralis movido a eletricidade.

 

Novo Opel Corsa estreia no Salão de Frankfurt ao lado de um raro Corsa GT que viajou de PortugalA Opel assinala três esteias mundiais na edição deste ano do Salão Internacional do Automóvel de Frankfurt (12 a 22 de setembro). A sexta geração Corsa é cabeça de cartaz, com uma gama completa de motores a gasolina e a gasóleo, que integra uma versão elétrica a bateria e o primeiro automóvel elétrico do mundo destinado à competição de ralis. A marca alemã mostra também pela primeira vez o renovado Astra, dotado de uma linha completamente nova de motores, e a versão híbrida ‘plug-in’ do SUV Grandland X. O modelo Corsa, ‘best-seller’ que já vendeu mais de 13,6 milhões de unidades, surge representado no ‘stand’ da Opel também por um exemplar especial Corsa GT da primeira geração, que o Opel Classic veio adquirir a Portugal.

Fiabilidade Opel: 2700 km do Porto a Rüsselsheim, passando por Saragoça

Levou algum tempo até a Opel encontrar um dos escassos Corsa GT da primeira geração em bom estado de conservação. O fabricante alemão veio procurar a Portugal, um dos países onde o modelo teve maior sucesso. E a procura deu frutos. O exemplar escolhido havia sido originalmente registado em Espanha e estava quase esquecido numa garagem na baixa do Porto. Foi daí que os elementos do Opel Classic saíram em direção a Frankfurt, com o pequeno Corsa GT a rodar por estrada.

A gama Corsa disponibilizou a versão GT entre abril de 1985 e o outono de 1987. Com motor de carburador, 1,3 litros de cilindrada, 70 cv e caixa de cinco velocidades, o Corsa GT foi o sucessor do Corsa SR. A potência acrescida, os ‘spoilers’ discretos, as jantes de liga leve e os bancos desportivos tornaram este modelo irresistível aos olhos de quem procurava um pequeno utilitário dinâmico. O GT foi, de facto, o ‘desportivo’ de eleição de muitos, até à chegada da versão mais potente GSi, em 1988.

A nova aquisição do Opel Classic revelou-se, desde logo, muito à vontade no trânsito, sem manifestar esforço e surpreendendo até pela suavidade. A suspensão trabalha bem - é firme mas relativamente macia, como convém a um desportivo - a direção é direta, sem folgas, e na completa informação prestada ao condutor, onde não falta sequer o indicador de pressão de óleo, está tudo a funcionar. O consumo de gasolina vai ao encontro do que era anunciado à época, raramente ultrapassando os seis litros a cada 100 quilómetros. O peso do Corsa GT, de apenas 750 kg, é um aliado precioso, permitindo uma relação peso/potência de apenas 10,7 kg por cavalo.

Na viagem entre Portugal e a Alemanha o Corsa GT amarelo faz uma paragem em Saragoça, Espanha, na fábrica onde foi construído em 1987, recebendo olhares de admiração de muitos empregados. Rumando daí a Rüsselsheim, a viagem prossegue para Barcelona e depois através de França. A etapa final, a partir de Basileia, é feita ao longo do rio Reno. À chegada à sede da Opel, o ânimo da equipa Opel Classic é grande. Para trás haviam ficado 2700 km que este Corsa de 32 anos, arrancado a uma pacífica reforma em Portugal, cumpriu sem qualquer necessidade de reparação.

Projeto IAA: promoção a estrela de salão

Antes de se iniciarem os trabalhos de restauro com vista a assegurar a presença no Salão de Frankfurt ao lado dos exemplares da mais recente geração, em estreia naquele evento, o Corsa GT faz uma passagem pela TÜV para a inspeção obrigatória e atribuição de registo alemão. Os técnicos comprovam o bom estado de conservação do Corsa luso-espanhol, que passa com distinção e recebe o precioso selo para colocar na chapa de matrícula.

Uma vez na oficina do Opel Classic, o automóvel é examinado minuciosamente. Uns olhares atentos descobrem algumas imperfeições, como marcas no tejadilho, logótipos que não são originais, vidros riscados e estofos demasiado coçados. Toma-se a decisão de desmontar o carro todo para garantir a recuperação em pleno, trazendo o Corsa GT de novo à luz do dia, sem mácula.

O “Projeto IAA 2019” arrancou sob a orientação de Thorsten Götz e Dieter Eder, especialistas da Opel em automóveis clássicos. Peça a peça, a equipa reconstruiu o Corsa, primeiro pelo motor, seguindo-se a suspensão. Com nova pintura, a carroçaria recebeu os logótipos GT corretos. Depois vieram as jantes originais e vidros e janelas novas. O Corsa GT adquirido em Portugal está agora pronto para a sua segunda vida, que arrancará em grande estilo no Salão Internacional do Automóvel de Frankfurt, no dia 12 de setembro, no ‘stand’ D31 do ‘hall’ 11.0.

Ir para o topo